sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Análise "Em seus Passos que Faria Jesus?" [Parte 2]

Em Seus Passos que Faria Jesus?
Charles Monroe Sheldon



Parte 2 - Aspectos Neutros do Livro :-|

2.1 Mesmo velho e toma só leite?
Não consegui classificar este tópico como bom ou ruim, na dúvida classifiquei como neutro. Segue explicação do tópico e da classificação.

No enredo o autor retrata muito bem o contexto dos cristãos da época (que em quase nada difere dos Cristãos de hoje em dia).  Estes "cristãos" podem ser considerados "spiritual babys" como diria Leonard Ravenhill (Ravenhill disse que cerca de 95% dos cristãos são bebês espirituais), ou como descreveu Paul Washer, afirmando que muitos que um dia se comoveram com uma pregação (já vi pessoas chamarem de "apelo") e se consideram como salvas, mesmo levando uma vida mundana após a conversão. 

Bem, este cenário americano é uma coisa terrível, e é muito parecido com o Brasil. Mas tenho a impressão que nos EUA há uma pequena diferença: Nos EUA as pessoas que se declaram "cristãos" são muito parecidos com o que se denominam "católicos não-praticantes" aqui no Brasil. Ou seja, se você não tem mudança nenhuma de atitude, frequenta ou não os cultos/missas às manhãs de domingo, ou simplesmente não quer se declarar ateu, se diz "católico não-praticante" (no Brasil e "cristão" nos EUA).

Todas estas pessoas, que são simplesmente frequentadoras de reuniões, sempre serão bebês espirituais, e sempre precisarão de leite, como está em Hebreus, é uma pena que estas pessoas não possam experimentar coisas mais profundas e comer do alimento sólido.

Hebreus 5.12-13
12 Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento.
13 Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino.

Bom, apesar deste cenário ser péssimo (parte ruim) o autor conseguiu descrevê-lo de forma muito coerente (parte boa) o que me impediu de classificar este tópico como Bom ou Ruim (por isso classifiquei-o como Neutro). 


2.2 Era uma vez...
O Enredo do livro é bem previsível. É bem fácil falar isso hoje em dia, talvez na época ainda não fosse tão comum este tipo de enredo. Pensei em escrever muita coisa sobre isto, mas vi que nem vale a pena, o livro é tão previsível que seria uma redundância falar sobre isso. Só para ilustrar: a leitura do livro é como assistir um filme feito para pré-adolescentes.

Se você não percebeu isto, não tem problema. Mas provavelmente você não leu muitos romances, e não assistiu muitos filmes. ;-)


2.3 Como é rapaz?
Durante o enredo acontece algumas coisas sem explicações, como por exemplo, tem um momento que um empreendimento pequeno, maduro, sustentável e equilibrado, de repente quer fazer uma pequena alteração... que não refletia em nenhum investimento (não precisa comprar máquinas novas, não precisa fazer mais marketing, não precisa aumentar o capital de giro, nem mesmo aumentar a produção... nada disso) e de repente essa pequena mudança custa US$ 500.000,00 (meio milhão de dólares). Enfim, talvez o autor tinha seus motivos para colocar isto... mas em minha opinião... Nada a ver. rsrs.


2.4 Ser ou não ser? eis a questão.
Apesar do autor ser homem (no sentido de sexo masculino) ele consegue descrever melhor comportamentos femininos comparado aos masculinos. Inclusive quando é relatado o sentimento afetivo de sexos opostos, e as reações emotivas, o foco é muito grande nas emoções femininas. As vezes lembra até cenas de novelas.
Por este e outros aspectos as mulheres devem se sentir mais agradáveis à leitura. Homens mais sensíveis também. 


Em breve a Parte 1. Com o melhor do livro! 

Um comentário:

Sandro disse...

Graça e paz, sempre!

Passei por aqui para conhecer seu blog.
Estou seguindo.
Ficaria muito feliz em me seguir lá.

Abraço em Cristo,

Sandro
http://oreinoemnos.blogspot.com/

Postar um comentário